Atualizado: 13/07/17.

A defesa do ex-prefeito de Perdizes, Fernando Marangoni (PSDB), entrou com um mandado de segurança pedindo a anulação dos procedimentos da Câmara de Vereadores, na convocação da reunião extraordinária para a leitura da carta de renúncia ao cargo dele como prefeito. O político assinou a carta de renúncia em maio, enquanto estava preso suspeito de corrupção depois da Operação “Isonomia”. Ele foi solto em seguida e o vice, Vinícius Barreto (PPS) tomou posse. O advogado Gustavo Tavares alegou ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) que os ritos internos do Legislativo não foram respeitados, como por exemplo, o prazo para a convocação da reunião. “O pedido liminar foi indeferido em Belo Horizonte e agora foi solicitado que o presidente da Câmara preste informações do TJ para, posterior, ser feito o julgamento final do mérito”, explicou. Tavares disse ainda que o próximo passo é pedir a anulação da carta de renúncia do ex-prefeito de Perdizes, Fernando Marangoni. “Não existe processo criminal contra ele, as provas foram consideradas pelo juiz como ilegais. Ou seja, não tem denúncia contra Fernando”, disse. Minas Hoje/ A VOZ DO POVO.

CURTIU ? Vai La Compartilhe Nosso Post No WHATS E Nas Redes Sociais

FAZER UM COMENTARIO