Atualizado: 30/11/2018.

Mais uma vez um jovem participante do Jiu-jitsu oferecido pelos CRAS de Patrocínio se destaca internacionalmente. Dessa vez, Samuel Costa de 16 anos ficou com a medalha de Bronze na categoria azul juvenil do Sul-Americano de Jiu-Jitsu da IBJJF, que aconteceu entre os últimos dias 16 e 18 em Barueri (SP). Atendido pelo CRAS Dona Emidinha, no Bairro Enéas Ferreira de Aguiar, onde inclusive o jovem teve o seu primeiro contato com o esporte, Samuel vem se destacando como uma das grandes promessas da modalidade na região. Este ano ele já havia levado o ouro no Open Nacional em Caldas Novas (GO). Para o professor de Samuel, Mestre Hilton Márcio “Eu acho mais importante nisso tudo é a inclusão social dessas crianças e adolescentes, porque quando a gente dá oportunidade para elas de ir numa competição de renome, serve de exemplo para todos os outros que são colegas de treino, de CRAS e que passam a se sentir com condições iguais às outras crianças que têm condições financeiras, é importante dar esse acréscimo e mostrar que da para correr atrás dos sonhos e dos objetivos” disse. A coordenadora da unidade, Nisséia Nery, explica a grande oportunidade que o esporte proporciona para essas crianças “Como a gente tem um trabalho onde o nosso principal objetivo é resgatar nossas crianças, dar a possibilidade deles quererem ser algo melhor do que aquilo que eles são, o Jiu-jítsu é uma ponte extraordinária para fazer isso, porque lá ele tem que superar a si mesmo todos os dias, e quando ele faz isso no tatame do CRAS e conegue demonstrar superação em um campeonato onde ele se destaca, ele consegue acreditar nele mesmo e serve de exemplo para os outros que estão vendo que aonde o outro chegou, ele também pode chegar, os meninos do CRAS são diferenciados, são meninos que correm descalços nas ruas debaixo do sol, vivem o extremo para garantir a sobrevivência, por isso eles precisam acreditar e quando acreditam eles vão e conquistam essas medalhas “ finalizou Satisfeito, Samuel mostra com orgulho as medalhas que leva penduradas no pescoço e conta o quanto sua vida mudou depois que conheceu o Jiu-jítsu “Encontrar o caminho do jiu-jítsu me ajudou muito, tanto no meio escolar quanto na vida, em casa, na disciplina, coisas que são muito importantes na vida de crianças e adolescentes, agora tenho grandes objetivos, de seguir disputando essas competições, um dia me tornar faixa preta e poder passar o que eu aprendi para outros jovens” projeta. Além de Samuel, outras duas crianças atendidas pelo CRAS Dona Emidinha também foram destaque na modalidade, o pequeno Jhonata Gama, de apenas oito anos de idade, que se sagrou campeão na categoria Mirim do Open Nacional em Caldas Novas, e Kawan Alves, de 12 anos, que levou a prata na categoria Infantil do mesmo campeonato. A VOZ DO POVO.

CURTIU ? Vai La Compartilhe Nosso Post No WHATS E Nas Redes Sociais

FAZER UM COMENTARIO